A matéria favorita

«Bom dia, nome?»

«Bom dia, chamo-me Marco Vivaldi».

«Idade?»

«Dezoito».

«Em que matéria é bom?»

«Matemática».

«Nota?»

«Vinte».

«Muito bem, aqui está esta revista, dois panfletos e algumas brochuras para si. Encontrará aqui tudo o que precisa».

Marco afasta-se do balcão. Atrás dele, dezenas de pessoas aguardavam na fila pela sua vez. Alguns estavam a olhar para os seus telemóveis, outros estavam a olhar à volta, e Luca… «Oh meu Deus, Luca, o que estás a fazer?» Marco aproximou-se dele com incredulidade. «Estás louco? O que está a fazer?»

Luca é sereno, ele responde: «De que é que estás a falar? Não consegue ver? Estou a fumar. Claro que é inútil para ti vir a estes dias de orientação para procurar a universidade certa, mais adequada para ti, para o pequeno príncipe do papá e da mamã, se nem sequer compreendes que se uma pessoa tem um cigarro aceso na boca, significa que está a fumar». Marco começa a balbuciar, sente-se culpado como se fosse ele que tinha o cigarro aceso: «Estamos num lugar fechado, pousa essas coisas. Vais ser expulso». «Quero ser expulso». «De que estás a falar? Porque é que está a fazer isto? Dá-me isso». Marco pega no cigarro e atira-o ao chão, apagando-o com a sola do seu sapato e continua a olhar fixamente para Luca. Este rapaz não o compreende de todo, no entanto, é irrazoavelmente solidário com ele. «Para mim, temos de nos ir embora enquanto ainda podemos», diz Luca com um sorriso manhoso. Marco, com olhos incrédulos, vira as costas por um momento. Ele vira-se duas vezes, primeiro põe as mãos no cabelo, e depois descansa-as nas ancas, parecendo exausto e ao mesmo tempo reprovador: «Não te suporto. Quem pensa que é? Durante meses não fez mais do que falar de quão grande será a universidade, escolhendo os seus exames, estudando apenas o que gosta e está interessado, deixando a escola secundária que odeia absolutamente. Viemos aqui hoje, tentando descobrir qual vai ser o nosso futuro, e quase que se quer ser expulso, ficando ali parado, meio adormecido e meio irritado a fumar. Mas porquê, eu só quero saber, porquê?»

«Como correu a reunião?»

«Que reunião?»

«Agora entendes o que eu estava a dizer? Queres ir para a universidade e nem sequer compreendes quando falo. O encontro com o senhor lá, o senhor que é suposto mostrar o caminho para o futuro e todas aquelas histórias lá».

«Ele perguntou-me qual é a minha matéria favorita e…»

«Não».

«Desculpa?»

«Ele não perguntou a tua matéria favorita. Ouvi tudo. Ele perguntou-te em que matéria fazes melhor».

«Mas se sabes isso, porque perguntas?»

«Há uma grande diferença entre perguntar no que se é bom e no que se deseja ser bom. Mas não vê isso? Não compreendes isso? Olha à tua volta, estamos todos aqui, amontoados, neste pavilhão desportivo, que cheira mal. Estamos no meio do ringue, onde normalmente têm jogos, concursos. E olha para ali, nas bancadas. Quem vês? Os professores, que verificam, observam, têm de controlar que tudo está a correr bem, que na arena estamos a seguir todas as ordens que nos foram ensinadas: entrem na fila, esperem pela vossa vez, digam qual o assunto em que estamos a fazer melhor e não o nosso favorito. Eles são os juízes do concurso e estão de olho em si. Eles deram-lhe alguns folhetos e brochuras: agora tem de ir ao stand da universidade que eles indicaram. Por isso vais lá, no meio de centenas de outras crianças, todas com os mesmos folhetos coloridos, e elas dizem-te que esta é a universidade para ti, que eles se divertem muito, e que tu és o futuro deste maravilhoso país, ou algo do género. Neste momento, aqui vem o grande, espera, um deles vem ter contigo, pergunta-te o teu nome, para que ele possa repeti-lo durante todo o seu discurso, e para ti soará mais convincente, acreditar que ele está realmente interessado em ti, exclusivamente em ti. E depois de ter ouvido toda uma série de coisas que não conhecia e que te parecem interessantes, irás para casa. Ao dizeres o nome de uma prestigiosa universidade médica ou de engenharia, uma vez que respondeste à matemática, os pais vão dizer-te que esta é a melhor escolha de todas. Eles dirão coisas do tipo: «Compreendes o que significaria estudar naquela universidade? lá? E nessa altura estarás convencido de que escolheste, quando de facto, a única coisa que escolheste, aqui mesmo, agora mesmo, e livremente, é fumar um bom cigarro e serás tu a apagá-lo».

«Se sou bom em matemática, então obviamente que devo estudar engenharia, não é?»

«Não, não me parece. Aliás, penso que sim, de um ponto de vista lógico. Não penso assim do ponto de vista humano. Fixamo-nos no facto de que tudo tem uma causa e, portanto, um efeito necessário: bom em matemática, então fará medicina; um noivo simpático, então o seu amor deve durar para sempre; é filha de um médico, então não pode ser uma comediante. Talvez as pessoas devessem começar a fazer o que gostam e não necessariamente aquilo em que são boas. Se fazes coisas em que já és bom, ficas aborrecido, ficas cheio de orgulho, sentes-te completo. Devo contar-te um segredo? A vida nunca está completa, a única coisa que está completa e definitiva é o seu fim, e eu quero viver de uma forma totalmente incompleta, procurando sempre algo, quero pensar por mim mesmo, tentar, experimentar, e não ser classificado por idade. Se tiver vinte e cinco anos, deve ter um diploma; se tiver trinta anos, deve estar noivo e ter um emprego estável para poder começar uma família. A vida é muito mais complicada, continuamos a dar-nos regras, pensamos que podemos regular tudo. Há anos que os filósofos procuram a fórmula certa do ser, a essência, a vida: a grande verdade é que nunca ninguém compreendeu nada e mais do que ser bom em algo triste, eu prefiro ser perfeccionável, modificável, flexível, em algo que me faça feliz. O que achas?»

«Acho que devias passar-me esse cigarro». 

Pubblicato da Grandi Storielle

Siamo sei ragazze, Carola, Celia, Hannah, Livia, Morena e Sara che si sono conosciute in Erasmus a Chambéry e hanno ora deciso di mettere a disposizione la loro piccola ma grande arte per tutti.

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo di WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione /  Modifica )

Connessione a %s...

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: