Domingo de manhã

– Está tudo bem? – – Sim, sim, obrigado. – – Bom, não parece ser assim, deixa-me ver. Posso? – Delicatamente toca com o dedo indicador na bochecha do rapaz, e apanha uma lágrima que corria por todo o lado direito do seu nariz. Ele olha para o seu dedo indicador e, primeiro, com umContinua a leggere “Domingo de manhã”

Super G

Tudo estava limpo e arrumado. As lousas lavadas e secadas, para serem reescritas com o habitual Bom dia a todos, sejam o presente mais lindo do mundo! O termos quente em cima da cadeira na sala dos professores, o aquecimento ligado há cerca de uma hora, e alguns jornais, ao lado do seu sempre presenteContinua a leggere “Super G”

Naqueles cinco minutos

6 da manhã. Lucia coloca a chave na fechadura da porta da frente. Ela prende a respiração, acreditando que desta forma será capaz de fazer menos barulho. Roda a chave na fechadura uma primeira vez. Luca, o seu filho, está a dormir profundamente no seu quarto, perto do corredor que conduz à cozinha. Paolo, umContinua a leggere “Naqueles cinco minutos”

A noite anterior

É o grande dilema para nós, jovens. Partir ou ficar. Viajar ou permanecer. Ela disse a si mesma, se não agora, quando? Estava certo fazer as próprias experiências, tomar decisões individuais, fazer um pouco de guerra e paz consigo mesma. Tinha de conhecer-se até ao fundo, aprender a amar-se e então seria uma grande experiência,Continua a leggere “A noite anterior”

A mítica florista de Mulberry

Era um sábado cinzento e melancólico em Londres, e uma espécie de mal-estar pareciaagarrar a Bond Street desde a primeira luz fraca da manhã. Havia, contudo, um lugar, oumelhor, uma loja, onde os cheiros e ruídos típicos da cidade barulhenta não eramautorizados a entrar: um pequeno paraíso na terra inteiramente hospedado por um conjuntode aromas,Continua a leggere “A mítica florista de Mulberry”

O quadro

Foi um belo dia. Poder-se-ia ter sentido desde a primeira luz do amanhecer. O sol já estava quente, mas uma brisa agradável e leve abanava a persiana da janela do seu quarto. Desta forma, momentos de escuridão total alternaram-se com momentos de pura luz que perturbaram o sono da rapariga. Naqueles dias ela sentia-se particularmenteContinua a leggere “O quadro”

O armário

Ele simplesmente não podia ficar na cama naquela manhã. Estava acordado há mais de uma hora e cada vez que fechava os olhos para tentar voltar a dormir, esperava que o tempo acelerasse e que acordasse com a luz do sol a atravessar as fendas das persianas do quarto dele. Teve de esperar, mas estavaContinua a leggere “O armário”

À minha filha

Pensei em escrever-te uma carta, minha filha. Pensei que só as palavras poderiam realmente suportar o peso dos meus sentimentos. Alguém os põe a música, outra pessoa dança neles, outra pessoa recita-os, e pensa que chegamos ao ponto de os gravarmos na pele ou de os desenharmos nas paredes da cidade. Em suma, para ondeContinua a leggere “À minha filha”

Um passeio de eléctrico

Que dia maravilhoso. Estava a chover, estava, mas Clara estava radiosa. Finalmente, depois de muito tempo, alguém tinha reparado nela. Ela adorava escrever, desde criança. Quando lhe foi perguntado – Então Clara, já decidiu o que quer fazer com esta licenciatura em literatura? Terá de ser um professor, não é? Até tem férias, que maisContinua a leggere “Um passeio de eléctrico”