A mĂ­tica florista de Mulberry

Era um sábado cinzento e melancĂłlico em Londres, e uma espĂ©cie de mal-estar pareciaagarrar a Bond Street desde a primeira luz fraca da manhĂŁ. Havia, contudo, um lugar, oumelhor, uma loja, onde os cheiros e ruĂ­dos tĂ­picos da cidade barulhenta nĂŁo eramautorizados a entrar: um pequeno paraĂ­so na terra inteiramente hospedado por um conjuntode aromas,Continua a leggere “A mĂ­tica florista de Mulberry”

O quadro

Foi um belo dia. Poder-se-ia ter sentido desde a primeira luz do amanhecer. O sol já estava quente, mas uma brisa agradável e leve abanava a persiana da janela do seu quarto. Desta forma, momentos de escuridĂŁo total alternaram-se com momentos de pura luz que perturbaram o sono da rapariga. Naqueles dias ela sentia-se particularmenteContinua a leggere “O quadro”

O armário

Ele simplesmente nĂŁo podia ficar na cama naquela manhĂŁ. Estava acordado há mais de uma hora e cada vez que fechava os olhos para tentar voltar a dormir, esperava que o tempo acelerasse e que acordasse com a luz do sol a atravessar as fendas das persianas do quarto dele. Teve de esperar, mas estavaContinua a leggere “O armário”

Ă€ minha filha

Pensei em escrever-te uma carta, minha filha. Pensei que sĂł as palavras poderiam realmente suportar o peso dos meus sentimentos. AlguĂ©m os põe a mĂşsica, outra pessoa dança neles, outra pessoa recita-os, e pensa que chegamos ao ponto de os gravarmos na pele ou de os desenharmos nas paredes da cidade. Em suma, para ondeContinua a leggere “Ă€ minha filha”

Um passeio de elĂ©ctrico

Que dia maravilhoso. Estava a chover, estava, mas Clara estava radiosa. Finalmente, depois de muito tempo, alguĂ©m tinha reparado nela. Ela adorava escrever, desde criança. Quando lhe foi perguntado – EntĂŁo Clara, já decidiu o que quer fazer com esta licenciatura em literatura? Terá de ser um professor, nĂŁo Ă©? AtĂ© tem fĂ©rias, que maisContinua a leggere “Um passeio de elĂ©ctrico”

Almoço de família

O dia tinha finalmente chegado. Ao almoço ela ia encontrar-se com todos eles lá, na sua casa. Todos os filhos que voltam para casa. Finalmente. Tinha prometido dormir nessa noite, ela atĂ© levou a sua chávena de chá relaxante para o seu quarto para o beber, atĂ© pouco antes de fechar os olhos. E eleContinua a leggere “Almoço de famĂ­lia”

A beleza está em toda parte

Decidi escrever um pequeno conto e tentar torná-lo atual o mais possĂ­vel para dar uma moral Ă s crianças de hoje. Para começar esta histĂłria, Ă© preciso em primeiro lugar apresentar-vos o Jean. Filho de um professor de ciĂŞncia e de uma fĂ­sica, ele tinha uma grande paixĂŁo pela arte. Era grande amante de arte. QuandoContinua a leggere “A beleza está em toda parte”

O primeiro dia de escola

A primeira aula. “Bom dia a todos, bem-vindos Ă  aula de Literatura Italiana. NĂŁo existe maneira melhor de apresentar-se do que fazer uma pergunta. O que Ă© a literatura? Ei-lo! AĂ­ temos um rapaz corajoso! Por favor, o seu nome Ă©?” “NĂŁo existe melhor maneira de apresentar-se do que responder a uma pergunta. A literaturaContinua a leggere “O primeiro dia de escola”